Parcerias

IoT

Parcerias

Se existe uma palavra que tem o poder de me causar calafrios é “parceria”. Todo mundo adora parceiros, certo? Uma parceria comercial é ótima! Uma parceria romântica nos deixa felizes. E o que dizer daquela pessoa que é seu grande parceiro? Mas a triste verdade é que há muito tempo esquecemos o que significa, de fato, uma parceria. E sem conhecer seu significado, fica impossível ir atrás daquilo que a palavra parece prometer.

Uma parceria nasce quando duas ou mais pessoas resolvem trabalhar juntas para alcançar um objetivo em comum. Mais do que isso, a parceria pressupõe que o trabalho em conjunto será maior que a simples soma das partes: quase como um paradoxo matemático, parcerias exigem que 2 + 2 = 5 (ou mais). Mais ainda, e provavelmente o mais importante de tudo: uma parceria pressupõe ter a vontade e disposição de ajudar o próximo, investindo seu próprio tempo e dinheiro.

Ora, mas se a vida é tão corrida e o dinheiro é tão curto, por que eu deixaria de investir todo meu tempo e dinheiro em meu próprio negócio e passaria a direcionar parte desses recursos para outra pessoa? A resposta é tão curta quanto simples. Tem que valer a pena. E isso nos traz à primeira conclusão: não dá pra ser parceiro de todo mundo.

Algumas pessoas são especiais para nós. Algumas empresas têm um jeito de trabalhar que nos agrada e nos fortalece. É muito fácil olhar para alguém que está do outro lado da mesa e enxergar como ele pode nos ajudar. Ele poderia abrir sua carteira de clientes pra mim… ela poderia me apresentar para fulano… mas o que você traz para a relação? Lembre-se, a parceria deve funcionar para os dois lados. Pessoas responsáveis (e apenas pessoas responsáveis podem formar boas parcerias) não gostam de relações desequilibradas, nem para um lado, nem para o outro. E isso nos traz à segunda conclusão: a reciprocidade é a base da parceria.

Se você quer ser parceiro de alguém, a primeira coisa que deve fazer é desequilibrar a balança da relação a favor do outro. Ajude. Arranje um cliente pra ele. Resolva um problema dele. Se ele for um bom parceiro, fará questão de retribuir. Quando isso acontecer e a balança voltar ao equilíbrio, não perca tempo: ajude de novo! Desequilibre a balança novamente a favor do seu parceiro! Ele fará questão de trabalhar redobrado para que as coisas se equilibrem. No final, a balança vai pender de um lado para o outro, e todos acharão que estão devendo algo para o parceiro. Na verdade, todos saíram ganhando.

Invista tempo aprendendo sobre seu parceiro. Conheça seu negócio, seus problemas, seu dia a dia. Se possível, vá até sua empresa e fique lá um bom tempo aprendendo cada detalhe. Transforme-se no melhor vendedor do seu parceiro. Separe uma hora do seu dia para buscar oportunidades para seu parceiro. Ele fará o mesmo por você. E se não fizer, bem… não era uma parceria, não é mesmo!

Não quero fazer parte de um clube de me aceite como membro

Marx, Groucho